domingo, 31 de janeiro de 2010

Inscrições para temporada do Teatro Caxiense até 12 de fevereiro

Seguem até 12 de fevereiro as inscrições para a Temporada do Teatro Caxiense 2010. Os grupos de teatro da cidade interessados em participar devem se inscrever na Unidade de Teatro da Secretaria da Cultura, que fica no Centro de Cultura Ordovás, através do envio de material para o e-mail unidadedeteatro@caxias.rs.gov.br ou pessoalmente na Unidade de Teatro.

A Temporada do Teatro Caxiense é um projeto que acontece desde 2006 e tem por objetivo a valorização da produção do teatro local. Em 2010, acontecerá entre abril e dezembro, sempre na segunda semana de cada mês. As apresentações são realizadas no Teatro Municipal Pedro Parenti, no Teatro do Sesc, nos parques, praças e outros espaços públicos de Caxias.

Mais informações no telefone (54) 3901-1316.

Fonte: www.clicrbs.com.br

Novos Eventos - Rede Em Palco

↑ Grab this Headline Animator

Leia Mais…

Livro, Cancioneiro

Campanha, Comece seu regime no domingo, "devore" um livro =D


Cancioneiro

Trecho do Livro:

"Tenho tanto sentimento
Que é freqüente persuadir-me
De que sou sentimental,
Mas reconheço ao medir-me,
Que tudo isso é pensamento,
Que não senti afinal.

Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada."

Serviços:

Livro: Cancioneiro
Autor: Fernando Pessoa
Idioma: Português
Clique Aqui e baixe o livro gratuitamente. (O livro encontra-se em formato PDF.)

Fonte: www.dominiopublico.gov.br

Postagens anteriores do mês

Dom Casmurro - Machado de Assis
O Eu profundo e os outros Eus - Fernando Pessoa
Poesias Inéditas - Fernando Pessoa
A Cartomante - Machado de Assis

Novos Eventos - Rede Em Palco

↑ Grab this Headline Animator

Leia Mais…

sábado, 30 de janeiro de 2010

O Teatro na tela do Cinema

A Fundação Nacional de Artes (Funarte) e o Ministério da Cultura apresentam, de 1 a 5 de fevereiro, na Sala Sidney Miller (RJ), o Cine Teatro Brasil. A mostra itinerante de cinema digital está focada na exibição de filmes que documentam os processos criativos de montagens teatrais. Entre as raridades que a programação coloca ao alcance do público está o documentário inacabado de José Agripino de Paula sobre a peça O Balcão, levada aos palcos pelo diretor argentino Victor Garcia em produção de Ruth Escobar.

Este ano, Amir Haddad será o homenageado da mostra, que exibirá o documentário Agitação na Praça Roosevelt. Com direção de Amilcar Claro, o filme revela como esta praça de São Paulo foi revitalizada pela ação de grupos teatrais, como os Sátyros e os Parlapatões. Haddad, cuja obra está alicerçada em décadas de experimentação e ousadia, foi o fundador do Tá na Rua, que também se apresenta em espaços públicos. Em 2010, a mostra traz ainda cinebiografias de Flavio Rangel e Antunes Filho.

O curador e idealizador do projeto, Julio Calasso, acredita que o acervo histórico das artes cênicas irá ultrapassar o material contido em recortes de jornais e em arquivos de programas, fotos e cartazes. “O Brasil tem uma cena teatral de ricas manifestações, enraizadas tanto na cultura popular quanto no experimentalismo e na vanguarda. Mas a documentação sobre as montagens e os grupos sempre foi pobre”, afirma. “Hoje, as tecnologias digitais de captação e edição permitem a constituição e a expansão de uma memória audiovisual”.

Apresentado pela primeira vez em novembro de 2009, em São Paulo, o Cine Teatro Brasil é um espaço troca de experiências sobre criação artística. “Existe uma linguagem própria do Cine Teatro, que, afinal, não é cinema, não é teatro filmado, não é videoclipe? Ou é tudo making of?”, pergunta provocativamente o curador.

PROGRAMAÇÃO

ABERTURA (1/2) – Homenagem a Amir Haddad
19h: Agitação na Praça Roosevelt (Dir. Amilcar Claro / 54min)
TERÇA-FEIRA (2/2) – Duas cineastas, uma biografia e um espetáculo
19h: Flávio Rangel – O teatro na palma da mão (Dir. Paola Prestes / 1h31min)
20h30: Além Hamlet (Dir. Sandra Delgado / 49min)
QUARTA-FEIRA (3/2) – Um estilo próprio de realizar o cine teatro
19h: Inveja dos anjos (Dir. Pedro Asbeg / Armazém Cia de Teatro / 1h48min)
QUINTA-FEIRA (4/2) – Homenagem a Ruth Escobar
19h: Transgressões – A revolução do espaço cênico (Dir. Amilcar Claro / 21min)
19h30: O Balcão (Dir. José Agripino de Paula / 27min)
20h: O Teatro de Antunes Filho: A poética do mal (Dir. Amilcar Claro / 54min)
SEXTA-FEIRA (5/2) – Duas aventuras humanas inventadas no Rio de Janeiro
19h: O incrível encontro (Julio Calasso / Centro Experimental Teatro Escola / 54min)
20h: Coisas do gênero (Centro de Teatro do Oprimido / 54min)

Cine Teatro Brasil – o teatro na sala de cinema
Onde: Sala Funarte Sidney Miller (Rua da Imprensa, 16, térreo – Centro do Rio de Janeiro)
Quando: de 1 a 5 de fevereiro de 2010, a partir de 19h
Entrada: gratuita, com distribuição de ingressos uma hora antes das sessões
Informações: 21 2279-8104 / www.cineteatrobrasil.com.br
Patrocínio: Funarte, Secretaria da Cidadania Cultural e Secretaria do Audiovisual
Apoio: Sesc TV, Sociedade Amigos da Cinemateca, Cinemateca Brasileira, Cooperativa Paulista de Teatro e O Autor na Praça

Fonte: www.funarte.gov.br

Novos Eventos - Rede Em Palco

↑ Grab this Headline Animator

Leia Mais…

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Ônibus e ingresso de graça no Concerto de Encerramento do FEMUSC 2010

Não vai faltar motivo para que o público de Jaraguá do Sul e dos municípios da região acompanhe o Concerto de Encerramento do FEMUSC – Festival de Música de Santa Catarina, neste sábado (30).

Haverá transporte gratuito com ônibus da empresa Canarinho a partir das 19h30min, dos bairros Ilha da Figueira, Barra do Rio do Cerro, Três do Rio Sul e Três Rios do Norte, Amizade, João Pessoa, São Luis, Ana Paula, Vila Lalau, Jaraguá Esquerdo, Tifa Martins e Vila Rau. Na chegada à Arena Jaraguá, o usuário receberá o ingresso para o concerto, também gratuito, a partir das 20h30min. O retorno será após o encerramento do concerto.

O Concerto de Encerramento do FEMUSC 2010 vai reunir uma mega orquestra com cerca de 400 componentes, o Grande Coral do FEMUSC e a participação da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil.

O Festival de Música de Santa Catarina é uma realização do Instituto FEMUSC com patrocínio do Governo do Estado, via Funcultural, WEG e Ministério da Cultura, via Lei Rouanet, e o apoio da SCAR, Secretaria de Estado do Desenvolvimento Regional, Vale dos Encantos Convention & Visitors Bureau, Fundação Cultural de Jaraguá do Sul. Governo Federal, Bradesco e Stop & Shop Hungry Tiger.

Informações no site www.femusc.com.br, pelo telefone (47) 3373-8652 e pelo e-mail atendimento@femusc.com.br

Fonte: www.femusc.com.br

Novos Eventos - Rede Em Palco

↑ Grab this Headline Animator

Leia Mais…

Saiu a lista dos pré-selecionados para nova turma do PFPJ!

Parabéns aos selecionados! Em breve divulgaremos o local da oficina da seleção prática. Fique de olho!

Turma A
Dias de seleção prática: 22, 23, 24 e 25 de fevereiro
Horário: das 9:00 as 12:00h (local a confirmar)


Adriano Batista da Silva
Aline Carolina Carvalho Hernandes
Amanda Barbosa Xavier Cotrim
Andre Costa Schulle
Daniel Marques da Silva
Danielle da Silveira
Dario França de Sousa
Diego Clemente Mendes
Diego Inácio da Silva
Edson Luiz Silva Neves
Fernando Braga
Gabriela Conceição Zanola de Souza
Gerson de Souza Santana
Gustavo Guimarães Gonçalves
Henrique Rímoli Campos
José Gelson da Silva Filho
Jean Tadeu Faria Bevilacqua
Jéssica Alves Magalhães
Jéssica Marques da Silva
Juliana Braga Faciroli
Marcela Cabral da Silva
Meyriane Felipe de Castro
Priscila Muniz da Silva
Raoni Vilela Vieira
Tainá Luz de Oliveira Severino
Vitor Gabriel Landim André
Victor Henrique Pereira da Silva

Turma B
Dias de seleção prática: 1, 2, 3 e 4 de março
Horário: das 9:00 ás 12:00h (local á confirmar)


Alex dos Santos Silva
Alexandre Ilha de Vilhena
Daniel dos Santos Graciano
Danielle Spina de Barros
Dario França de Souza
Débora Cardoso
Diego Deodato Fajardo Puhl
Felipe Scalco
Gessica da Silva
Gislaine Barroso Pereira
Heverton Alves Augusto
Inajá Martins do Nascimento
Marcela Ferraz Vieira
Marisa Pereira da Silva
Nilson Castor da Silva
Larissa Ferreira Torello Vieira
Leila Rosa Tomé dos Santos
Rafael Fabocci Martinelli
Rafael Oliveira pereira
Renato Carvalho Ribeiro
Renato Macedo da Silva
Samara Montalvão de Souza
Stella Sana Souza Ribeiro
Thamires Torres Oliveira Dias
Valmir Cruz
Vinicius Ramos
Wellington Queiroz Fernandes

Turma C
Dias de seleção prática: 8, 9, 10 e 11 de março
Horário: 9:00 as 12:00h (local á confirmar)


Anderson de Souza Ferreira
Anderson Pinheiro dos Santos
Amanda Balice Caldeira
Alba Brito
Bruno Godói Lomba
Carolinne Haylem Manalischi Costa
Clayton Dos Santos Campos
Davi Ralf Riesenfeld
Elton Eduardo Modesto dos Santos
Felipe Datti Dias
Fernando Proença Romera
Hannah Carolina Silva Ferreira
Igor Muniz da Silva
Jacqueline Sampaio Santos
Joel Carozzi Marçal
Jonatas Rodrigues
Julia Pontes de Souza
Leticia Elisa Lourenço Leal Amoroso
Leonardo Gatti da Silva
Luiza Pereira Neves
Patrícia Da Rocha Lima
Philipe Lacerda
Rafaella França de Oliveira
Rita Masini
Suelen Santana Silva
Thais Oliveira
Thiago Nascimento Pereira

Fontes: www.doutoresdaalegria.org.br e @doutores

Novos Eventos - Rede Em Palco

↑ Grab this Headline Animator

Leia Mais…

Manifestantes ocupam Praça da Estação contra medida do prefeito Márcio Lacerda

Decreto que proíbe manifestações culturais no local é contestado pela sociedade e movimentos culturais

Neste sábado, dia 23, a Praça da Estação vai virar uma praia pública. Acontecerá nesse dia o Praia Na Praça, um movimento pela plena utilização do espaço reformado da Praça Rui Barbosa. O evento serve como protesto contra o decreto 13.798/09, editado pelo prefeito Márcio Lacerda, que proíbe a “realização de eventos de qualquer natureza na Praça da Estação, nesta Capital”.

A manifestação se caracteriza basicamente pela irreverência e descontração, em face à medida do prefeito que visa diminuir as manifestações culturais nas áreas centrais de Belo Horizonte. Para o movimento, as pessoas deverão ir de roupa de banho (bermuda, calção, biquíni, maiô, cueca) e levar artigos de praia, tais como bóias, cadeiras, toalhas, guarda-sol, cangas, farofa e a vitrolinha ou o violão.

Todos os interessados em discutir a proibição de eventos na praça estão convidados para esmiuçar o tema das revitalizações ocorridas recentemente na cidade e dos decretos de lei que instauram o deliberado loteamento dos espaços públicos. Isso, enquanto curtem o sol e a cidade.

O Centro e a Cultura

Há cinco anos, iniciou-se em regiões de da Grande Belo Horizonte um novo processo de higienização urbana, que tem como base elementar a reestruturação de espaços da cidade em consonância com as tendências contemporâneas de uso e desuso especulativo-mercantil das grandes cidades. Além do ostensivo investimento em mecanismos de monitoramento que se espalharam pelos arredores do centro urbano de BH (vide o chamado Projeto Olho - Vivo), tais empreendimentos tendem a sufocar, por vários meios, o encontro espontâneo de indivíduos nas ruas e o livre uso de espaços classificados como "públicos".

Essas intervenções se definem por moldes dos velhos projetos característicos de todas as modernas cidades erguidas sob os pressupostos unitários do capitalismo: limpeza de aspecto fundamentalmente classista, projetos infra-estruturais de custos estratosféricos, restauração de pontos turísticos e outros.

Em 09 de dezembro de 2009, foi decretada pela administração da cidade, com assinatura direta do prefeito, a proibição de "eventos de qualquer natureza" na Praça da Estação (ou Praça Rui Barbosa), um patrimônio público que viveu os primeiros suspiros da cidade. A medida pode assinalar a retomada do que se iniciou em 2005/2006, como corrida "emergencial" para a conclusão de todas as obras necessárias para que BH possa dar suporte aos eventos da Copa do Mundo de 2014.

"O decreto"

DECRETO Nº 13.798 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2009

O Prefeito de Belo Horizonte, no exercício de suas atribuições legais, em conformidade com o disposto no art. 31 da Lei Orgânica Municipal, considerando a dificuldade em limitar o número de pessoas e garantir a segurança pública decorrente da concentração e, ainda, a depredação do patrimônio público verificada em decorrência dos últimos eventos realizados na Praça da Estação, em Belo Horizonte,
DECRETA:

Art. 1º - Fica proibida a realização de eventos de qualquer natureza na Praça da Estação, nesta Capital.

Art. 2º - Este Decreto entra em vigor no dia 1º de janeiro de 2010.

Belo Horizonte, 09 de dezembro de 2009

Marcio Araujo de Lacerda
Prefeito de Belo Horizonte

Fonte: DOM 10/12/2009

Fonte: pedreiranavidraca.blogspot.com

Novos Eventos - Rede Em Palco

↑ Grab this Headline Animator

Leia Mais…

SID/MinC faz pré-lançamento de mais um edital no FSM 2010

O 1º Edital Prêmio Cultura Hip Hop 2010 - Edição Preto Ghóez, que premiará 128 iniciativas voltadas para a promoção e o fortalecimento da Cultura Hip Hop no Brasil, terá pré-lançamento, no próximo dia 29, às 21h, no Auditório Centro Universitário La Salle, na cidade de Canoas, Rio Grande do Sul, durante a realização do 10º Fórum Social Mundial.

O Edital, uma realização do Ministério da Cultura (MinC), por meio da Secretaria da Identidade e Diversidade Cultural (SID), em parceria com a Secretaria de Cidadania Cultural (SCC), o Instituto Empreender e a Ação Educativa, será publicado na primeira semana de abril de 2010 e homenageará o artista, e líder do Movimento, Preto Ghóez, que morreu em 2004, vítima de acidente de carro.

O 1º Edital Prêmio Cultura Hip Hop 2010 - Edição Preto Ghóez terá um investimento total de R$ 1,7 milhão e premiará as iniciativas, realizadas individualmente ou em grupo, divididas em cinco categorias diferentes: Reconhecimento, Socioeducativa (Escola de Rua), Geração de Renda, Difusão/Conhecimento (5° Elemento) e Difusão - Menções Honrosas. A atividade de divulgação do Pré-Lançamento do Edital será realizada no Palco Principal.

A partir de março, o MinC e as entidades parceiras informarão por meio de seus sites e de outras ferramentas de comunicação, todos os procedimentos necessários para a participação dos interessados. As inscrições permanecerão abertas durante três meses e os interessados poderão encaminhar suas propostas via internet ou pelo correio.

A Cultura Hip Hop, cujas primeiras manifestações, no Brasil, datam do início dos anos 1980, surgiu nos Estados Unidos da América e, atualmente, pode ser encontrada em todo o território brasileiro, principalmente nas periferias das regiões metropolitanas. Mas o Hip Hop também chegou ao interior do Brasil, marcando presença, por exemplo, em assentamentos e acampamentos rurais, aldeias indígenas e comunidades quilombolas. Com isso, absorveu a diversidade da cultura brasileira, criando uma identidade própria, com múltiplas variações, e tornando-se uma linguagem artística das mais representativas da nossa cultura.

Preto Ghóez, o homenageado
Márcio Vicente Góes, nasceu em 8 de outubro de 1971, em São Luis, no Maranhão. Teve uma infância pobre e começou a trabalhar com apenas 10 anos para ajudar a mãe a sustentar a família. Mas a paixão pela música também foi despertada cedo e, em 1993, ele já estava montando a sua primeira banda de Hip Hop, a Habeas Corpus, que, em 1994 passou a se chamar Skina. Em 1996, o artista formou um novo grupo musical. Surgia, então, a Milícia Neo Talmarina que durou até 1998. Neste ano, Preto Ghóez desfez o grupo e criou a Clã Nordestino que gravou um único CD, a Peste Negra do Nordeste, e durou até a sua morte.

Além das bandas, Preto Ghóez fundou os Movimentos Hip Hop Organizado Brasileiro (MHHOB), Favelafro, do Maranhão e Questão Ideológica, do Piauí. O artista escreveu ainda o livro A Sociedade do Código de Barras - O Mundo dos Mesmos. Com a banda Clã Nordestino Ghóez percorreu todo o Brasil e também fez shows em países como a Itália e a França.

Como líder do movimento e um dos fundadores do MHHOB, Preto Ghóez, visitou todo o país fazendo palestras. Depois de sua morte, o compositor, cantor e escritor, recebeu várias homenagens. Dois Pontões de Cultura foram batizados com o seu nome. O primeiro, em Teresina, recebeu o nome de Pontão Preto Ghóez Vive e o segundo, em Rondônia, de Pontão de Rondônia Preto Ghóez - Povos da Floresta. Uma rua da cidade de Sorocaba, no interior de São Paulo, também ganhou, em 2006, o nome do líder do movimento Hip Hop no Brasil.

Nino Brown, da Casa Hip Hop de Diadema (SP), ouviu falar de Preto Ghóez no início do movimento no Brasil. "Eu estava em São Paulo e ele no Maranhão e fui a primeira pessoa do estado paulista a fazer contato com ele. Como naquela época não havia computador nos falávamos por carta ou telefone", conta Brown, um dos precursores e líderes do movimento em São Paulo. Para ele a homenagem do MinC ao artista é mais do que legítima. "Ele representava o movimento e o povo humilde. Também não tinha medo de dizer o que pensava", justifica Nino Brown, que está no Movimento Hip Hop há 30 anos e para quem a morte de Preto Ghóez foi um choque. "Não acreditávamos que era verdade. Foi uma perda muito grande para todos do movimento", assegura ele.

(Heli Espíndola- Comunicação/SID)

Comunicação SID/MinC

Telefone: (61) 2024-2379

E-mail: identidadecultural@cultura.gov.br

Acesse: www.cultura.gov.br/sid

Nosso Blog: blogs.cultura.gov.br/diversida de_cultural

Nosso Twitter: twitter.com/diversidademinc

Novos Eventos - Rede Em Palco

↑ Grab this Headline Animator

Leia Mais…

Garanhuns terá Festival de Blues e Jazz no Carnaval

Nem só de frevo vive o carnaval pernambucano. Há três anos acontece no município de Garanhuns, região agreste pernambucana, o Garanhuns Blues & Jazz Festival, evento realizado pelo produtor e músico Giovanni Papaleo, conhecido realizador de festivais de blues como o Oi Blues By Night — realizado há oito anos em seis capitais do NE, incluindo Natal – o Jazz Porto e o circuito de blues na casa noturna Downtown.

Nos moldes do Festival de Guaramiranga, o evento de blues pernambucano já é considerado o maior do Estado, sendo uma opção alternativa para o feriado de momo.

“Ele só tem três anos, mas a gente já foi contemplado, no ano passado, com o Prêmio Mestre Salustiano, ficando entre os 3 mais importantes Projetos na área de Turismo no Estado de Pernambuco”, falou Papaleo ao VIVER.

O festival acontecerá entre 13 e 15 de fevereiro, com shows e workshops, todos gratuitos. Na estrutura deste ano terá “Magic Slim” — lenda viva do Blues mundial — os saxofonistas Leo Gandelman e o pernambucano Jasiel Leite, Celso Blues Boy, banda de samba-jazz Azimuth, Andreas Kisser com seu projeto paralelo de blues e rock, o cantor de soul-gospel novaiorquino Karl Dixon, Greg Wilson do Blues Etílicos, o cantor e guitarrista do Detonautas Tico Santa Cruz, que virá com seu projeto paralelo de Blues (Blueguellos) em parceria com integrantes da UpTown.

As inscrições para bandas interessadas podem ser feitas atraves do email contato@garanhunsjaz.com.br

Pela primeira vez, o Festival vai premiar o público presente nos intervalos dos shows, com Instrumentos musicais de qualidade (entre os principais premios estão uma bateria Odery, uma guitarra autografada por Magic Slim, um contra-baixo e um violão eletrico), cds e camisas oficiais do Festival.

Algumas das estrelas do Festival irão fazer workshops musicais gratuitos (haverá inscrições). Entre eles o baterista Alexandre Cunha (SP), que vem patrocinado pela Fábrica de baterias Odery.

Segundo o produtor, o público pficará acomodado em mesas e cadeiras com serviço de garçons, pagando apenas pelo que consumir.

Segundo o produtor, um dos grandes méritos do “Garanhuns Jazz” foi elevar a taxa de ocupação dos hoteis em Garanhuns no período de carnaval, que era de 20% ,antes do Festival acontecer e conseguiu atingir a marca de quase 100% de ocupação durante o período de realização do Festival. “E isso em pleno carnaval pernambucano”, disse o produtor.

Já passaram pelo festival os músicos Victor Biglione, Kenny Brown. Nuno Mindelis, Taryn Szpilman, Nuajes (Equador), Les Freres Guissé (Senegal), Izzy Gordon, Clay Ross Band (EUA), Kate Bentley (EUA), IGor Prado Band, Carlos Malta, Marcelo Martins, além de nomes representativos da música nordestina como Banda de Pifanos de Coco Verde, Grupo de Percussão de Lata, Cezar Michiles, Marcos Cabral.

Em 2010 o Homenageado do “Garanhuns Jazz” é o saudoso Jornalista Ronildo Maia Leite, cujo nome também batiza o Palco Principal do Evento, desde a sua primeira edição.

Fonte: tribunadonorte.com.br


Novos Eventos - Rede Em Palco

↑ Grab this Headline Animator

Leia Mais…

Aline – Expectativa

Pessoal no mês de janeiro estive postando a série Aline.

Baseada na personagem de história em quadrinhos de uma tira criada por Adão Iturrusgarai. Espero que tenha agradado a todos!

Há uma promessa de continuação da série em em 2010 com novo episodios, então fica a expectativa para as novas loucuras de Aline e sua Turma.

Elenco:

Maria Flor
Pedro Neschling
Bernardo Marinho
Bianca Comparato
Daniel Dantas
Malu Galli

Direção - Mauro Farias, Maurício Farias

Fontes: aline.globo.com

Episódios Anteriores:

Aline - Prévia - Clique aqui para ir a postagem

Aline - 01 - Clique aqui para ir a postagem

Aline - 02 - Clique aqui para ir a postagem

Aline - 03 - Clique aqui para ir a postagem

Aline - 04 - Clique aqui para ir a postagem

Aline - 05 - Clique aqui para ir a postagem

Aline - 06 - Clique aqui para ir a postagem

Aline - 07 - Clique aqui para ir a postagem

Novos Eventos - Rede Em Palco

↑ Grab this Headline Animator

.

Leia Mais…

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Documentário recria as invenções do poeta matogrossense Manoel de Barros

Manoel de Barros 92 anos, tem cerca de 20 livros publicados e vive em Campo Grande.

Documentarista de segunda viagem, o carioca criado em Pernambuco Pedro Cezar tem-se mostrado capaz de reverter as expectativas sobre os assuntos que aborda. Em seu filme de estreia, "Fábio Fabuloso" (2005), perfil de um surfista brasileiro conhecido internacionalmente, ele conseguiu despertar o interesse até de quem nunca pegou uma onda, devido à criatividade da linguagem do filme, que usava o cordel como recurso. Tanto deu certo que "Fábio Fabuloso" saiu do Festival do Rio e da Mostra Internacional de São Paulo com o prêmio de público.

Em seu segundo filme, "Só Dez Por Cento É Mentira", retrato do poeta matogrossense Manoel de Barros que estreia em São Paulo e venceu o prêmio de melhor documentário no Festival de Paulínia 2009, o desafio do diretor é vencer o que ele considera um preconceito tanto contra o gênero documentário, como contra a poesia. Para isso, ele conta com a própria recusa de fazer "um filme poético" e também com o carisma de seu personagem. "Manoel é apaixonante", define o cineasta, em entrevista ao UOL Cinema. Abaixo, os principais trechos de sua conversa.

UOL Cinema - Você fez uma transição cinematográfica curiosa, de "Fábio Fabuloso", um surfista, ao Manoel de Barros, um poeta. Como foi isso?

Pedro Cezar - Na verdade, eu pego onda desde os 10 anos. Gosto muito de surfe e também sou um leitor de poesia. Tenho dois livros publicados. Acho que não tem transição, porque são dois assuntos que me interessam muito como tive muita sorte de fazer dois filmes sobre duas pessoas que eu não me incomodaria absolutamente de ser durante alguns dias. Já pensou? Eu gostaria muito de entrar numas cinco ondas com aquela fluidez do Fabinho. E escrever poesia como o Manoel.

UOL Cinema - O que lhe chama a atenção no estilo do Manoel?

Pedro Cezar - A forma como ele se expressa me ensinou que muita coisa não é imprescindível, como sempre me disseram: rima, métrica, o assunto. As frases loucas dele, as inversões, como "minha maçã come Eva". Esse cara é muito visual, muito imagético. E tudo que eu via na obra dele não me falaram nas aulas de literatura. Foi uma coisa que chegou na minha mão sem ser indicação de um professor. Hoje o Manoel se aprende na escola mas na minha época não se aprendia. Na melhor das hipóteses, se lia Manuel Bandeira, Carlos Drummond, Cecília Meirelles. E os parnasianos... Na minha época era: "Minha terra tem palmeiras/onde canta o sabiá".

UOL Cinema - Como você o conheceu?

Pedro Cezar - Eu ganhei o "Livro sobre Nada" quando completei 30 anos. Aí eu li - isso foi em 96. Fiquei supermobilizado para publicar meu próprio livro, rever minhas coisas. Aí resolvi ler tudo o que aquele cara escreveu. Descobri o "Livro das Ignorâncias". Mais piração ainda. Passam-se um ou dois anos e vou parar numa oficina de poesia, com a Elisa Lucinda. Nos tornamos grandes amigos e ela me botou num dos recitais dela. E eu fui dizendo uma poesia do Manoel chamada "Bernardo". A Elisa conseguiu trazer o Manoel para assistir ao recital. E me deu a missão de buscá-lo no aeroporto. Eu dei pra ele um versinho meu. Entre esse momento e eu ir bater na porta dele para fazer o filme foram sete ou oito anos, sempre encontrando com ele.

UOL Cinema - Mesmo assim, você conta no filme que foi difícil convencê-lo a fazer o documentário. Por quê?


Pedro Cezar - Eu mesmo agi acreditando que não ia dar certo. Ele me dizia: "Pra que você quer minha cara, essa ruína, se você tem minha obra ? O melhor que eu posso produzir está ali. Você quer conversar comigo para quê?" Eu tentava convencê-lo de que as pessoas queriam ver o autor dos versos. Ele continuava negando. Mesmo quando eu dizia que talvez fosse chamar um ator para fazer o papel dele e que este precisaria ter um material como base. Ele continuava resistindo: "Faz a tua pesquisa de outro jeito". Eu tinha desistido. Aí aconteceu de eu falar a palavra "sonho" e ele ficou misericordioso. E me mandou voltar no dia seguinte.

UOL Cinema - No filme viveu-se um momento dramático, da morte do filho do Manoel. Como foi isso?

Pedro Cezar - Foi um acidente mesmo da vida. O João tinha 50 anos de idade, era trabalhador, ocupado, bon vivant. Era um sujeito muito cativante. Fazendeiro, como o Manoel, e era o cara que viabilizava esse ócio que permite ao Manoel escrever. Tinha interesse pela obra do pai, tinha sensibilidade. Tanto que muitas frases dele entraram na obra do Manoel. Quando criança, quem falava coisas do tipo "vou puxar o vento pelo rabo" era ele. O Manoel dava o tratamento dele, mas em estado bruto foi o João quem falou muita coisa que o Manoel publicou até no livro "Poeminhas pescados numa fala de João".

Ele pilotava um aviãozinho. No dia do acidente, levava um possível comprador para um pedaço da fazenda. Apareceu um bezerro, ele arremeteu. Quando voltou, o bezerro entrou de novo na pista de pouso, aí não teve jeito. Foi uma comoção. Era tão idolatrado quanto o pai. E o Manoel teve que lidar com esse filme tendo acontecido isso, ele e a mulher totalmente destruídos.

UOL Cinema - Quem é aquele personagem que cria os objetos malucos, os "desobjetos"?

Pedro Cezar - Aquele cara é um ator. E as coisas que ele está mostrando foram feitas pelo Marimba, que é um artista plástico que mora no Rio e adora a obra do Manoel. Os "desobjetos" foram uma encomenda nossa. Aí apareceram o esticador de horizontes, o alicate cremoso, o aparelho de ser inútil...As explicações dele eu gravei e serviram de orientação para o ator, Paulo Giannini. Que foi, aliás, o último que chegou a um teste de elenco. Só depois eu descobri que ele tinha feito um monólogo sobre o Manoel, chamado "O Homem de Barros", e excursionado o Brasil inteiro.

UOL Cinema - Você mesmo admite que documentários sobre poesia tem má imagem junto ao público. Por que?

Pedro Cezar - Geralmente, o pessoal joga filme de poesia tudo no mesmo saco. Falou "documentário sobre poesia", espantou o contribuinte. Primeiro, porque é documentário, palavra que significa: "eu vou estudar". Qual é antônimo de entretenimento? Documentário. (ri) Aí vem outra coisa. Sinônimo de chatice? Poesia. Documentário poético, então, seria o estudo sobre uma coisa chata. Daí a dificuldade de mandar alguém que não seja mais uma das que santificam o Manoel de Barros para assistir ao filme. O que me anima é a reação das pessoas que tem visto o filme nos festivais em que ele passou. Elas até saem do filme e vão comprar os livros, como contaram para a gente no debate em Paulínia.

Fonte: www.midianews.com.br

Novos Eventos - Rede Em Palco

↑ Grab this Headline Animator

Leia Mais…

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Paraíba implantará centro cultural em homenagem a Sivuca

O subsecretário de Cultura da Paraíba, José David Campos Fernandes, esteve em Brasília na manhã desta quinta-feira, 21 de janeiro, para buscar junto ao Ministério da Cultura, recursos para implantação de um memorial em homenagem ao músico brasileiro, Sivuca. Ele apresentou o projeto inicial do espaço, e também pleiteou recursos para o desenvolvimento de diversas ações destinadas ao setor cultural do estado.

A proposta, orçada em R$ 6,5 milhões, ainda necessita de ajustes, como uma área para a reserva técnica do acervo e atividades ligadas à educação. “É importante, numa proposta de museu, que um projeto educativo esteja atrelado, pois, normalmente, quem leva a população mais carente a visitar um espaço como esse, são os filhos que estiveram lá com sua escola”, afirma Eneida Rocha, do Departamento de Difusão, Fomento e Economia dos Museus do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC).

Segundo José David, o memorial prevê, além do acervo físico, um conteúdo em meio digital, composto por músicas de Sivuca, dentre outras atrações interativas. Parte das memórias do artista estão guardadas com sua esposa, Glória Gadelha, que apoia a iniciativa. A forma de financiamento para a implantação do Memorial Sivuca será discutida pelo MinC após a indicação, por parte da Subsecretaria de Cultura da Paraíba, do local destinado à iniciativa.

Sivuca

Nascido na cidade de Itabaiana, na Paraíba, Severino de Oliveira - Sivuca - era conhecido nacional e internacionalmente como instrumentista, maestro, orquestrador, cantor, arranjador, compositor e produtor musical. Foi responsável por mostrar a elegância da sanfona nordestina ao cenário mundial da música.

Suas composições e trabalhos incluem, dentre outros ritmos, choros, frevos, forrós, baião, música clássica, blues, jazz, entre muitos outros. Contribuiu significativamente para o enriquecimento da música brasileira, ao revelar a universalidade da música nordestina e a nordestinidade da música universal. Sivuca morreu em 2006, deixando seu legado para a população de todo o país.

Fonte: www.vooz.com.br

Site: www.sivuca.com.br

Novos Eventos - Rede Em Palco

↑ Grab this Headline Animator

Leia Mais…

Zoológico Musical incentiva crianças a aprenderem mais sobre instrumentos de forma lúdica

Pá, pá, bom, bom, ti, ti. Sons que parecem não significar nada além de barulhos aleatórios, mas que na verdade estão atraindo crianças para o instrumento. Essa é a ideia do Zoológico Musical, idealizado pelo maestro-oboísta Alex Klein, diretor artístico do Festival de Música de Santa Catarina (Femusc). No sábado, às 10 horas, o Grande Teatro da Scar ficou cheio de espectadores curiosos que participaram a fundo da experiência.

No palco, alunos do festival mostravam a crianças de todas as idades o som que cada instrumento faz. Isso sem comprometimento com ritmo ou estilo. O objetivo era mesmo tirar o som do instrumento e deixar com que a criança fosse atraída para o que mais chamasse a sua atenção. “Como num zoológico, ouvimos os sons dos animais e vamos atrás deles; assim é aqui. Queremos que a criança sinta o instrumento e vá atrás de seu favorito”, explica Klein.

O pequeno Maycon Finato, oito anos, estava acompanhado da tia e dos primos e não perdeu a oportunidade para colocar a mão na massa e tocar um pouquinho. “Não sei tocar, mas gosto do som”, disse o menino que está participando do Femusquinho aprendendo flauta e violino.

O quase experiente Guilherme Tsubahara, nove anos, participa do Femusc há três anos, desde que começou a fazer aulas de flauta e fazer parte do Projeto Pequenos Vencedores, que reúne 24 crianças em um coral. Curioso, Guilherme conheceu todos os instrumentos da sinfonieta que estavam no placo e ficou apaixonado pela harpa. “É lindo e parece muito difícil. Foi o que mais gostei”, diz.

Quem perdeu a programação de sábado não precisa ficar triste. No dia 30 tem mais, mas com outra peça a ser apresentada. “Vamos repetir a dose, mas com apresentação de outras composições e outra história”, anuncia Klein.

PRÓXIMA CHANCE
Sábado, dia 30, a partir das 10 horas, tem mais uma edição do Zoológico Musical e do Concerto para Famílias no Grande Teatro do Centro Cultural da Scar. A participação no evento é gratuita.


gabriela.zimmermann@an.com.br
GABRIELA ZIMMERMANN | JARAGUÁ DO SUL

SERVIÇOS:

Zoológico Musical e Concerto para Famílias.
Quando: Sábado, 30 de janeiro 2010
Onde: Grande Teatro do Centro Cultural da SCAR
Endereço: Rua Jorge Czerniewicz, 160 - Czerniewicz, Jaraguá do Sul - SC, 89255-000 (SCAR-Sociedade Cultura Artística)
Horário: 10h30min
Quanto: gratuito

Fonte: www.clicrbs.com.br

Novos Eventos - Rede Em Palco

↑ Grab this Headline Animator

Leia Mais…

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Rede Abraço realiza Oficina de Rádio Comunitária para Pontos de Cultura

Na programação do Fórum Social Mundial na Grande Porto Alegre (25 a 29 de janeiro), a Rede Abraço realiza oficina que aborda a montagem e gerenciamento de uma rádio comunitária com objetivo de qualificar Pontos de cultura, Pontos de Midia Livres, Tuxáuas, agentes comunitários e demais interessados. O encontro acontece no dia 26, às 16h, no Plenarinho da Assembléia Legislativa do RS (3°Andar), em Porto Alegre.

Os palestrantes são Josué Franco Lopes, Coordenador de Comunicação da Abraço Nacional e Menbro do GTE do Fórum de Midia Livre, e José Sóter- Coordenador Executivo da Abraço Nacional e Secretário Geral do FNDC (Fórum Nacional do Direito à Comunicação). A participação é franca.

Oficina Como Montar uma Rádio Comunitária

O Que é Rádio Comunitária A Constituição Federal e a Complementariedade dos Sistemas de Comunicação, conceitos Gerais de Radicom, lei 9612 e seus limitações, Rádios Picaretárias (lucro, proselitismo religioso, promoção pessoal e politicagem), a visão da Abraço e seu Código de Ética.

Como Montar Processos legais (Construção da entidade Mantenedora,encaminhamento da manifestação de Interesse, Aviso de Habilitação, Morosidade), processos de envolvimento da Comunidade na construção da Radio, desobediência Civil e Repressão, equipamentos necessários.

Gestão Comunitária Papel e funcionamento da Entidade Mantenedora, Papel do Conselho Comunitário, Fonte de Recursos para a Manutenção (apoio cultural, mensalidade associados individuais, eventos)

Programação Programas jornalísticos, programas culturais, música, diversidade: racial, religiosa, opção sexual, gênero.

Conferência Nacional de Comunicação Apresentação das Propostas Aprovadas pela Abraço na I Conferência Nacional de Comunicaçao (Confecom).

Cobertura radiofônica

A Rede Abraço de Rádios Comunitárias estará realizando a cobertura radiofônica da 10ª edição do Fórum Social Mundial. Durante o período do Fórum serão produzidos 12 programas temáticos. Cada programa terá a duração de 10 minutos, dividido em dois takes de cinco minutos. Também serão feitas transmissões ao vivo dos principais eventos. Os programas para download e os links para as transmissão estarão disponíveis do sitio da Rede. 134 rádios de 14 estados já confirmaram a participação na cobertura. A reprodução do conteúdo é livre, desde que citada a fonte.

A Rede Abraço de Rádios Comunitárias é vinculada a Abraço Nacional e tem por objetivo prestar serviços às rádios comunitárias e aos movimentos sociais. A Rede produz programas e realiza coberturas ao vivo, como aconteceu na I Conferência Nacional de Comunicação e no Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica e diversos outros eventos. A Rede Abraço é um Ponto de Cultura premiado pelo Programa Cultura Viva do Ministério da Cultura e possui parceria com a Rádio FAE da UMG.

Site: redeabraco.org.br

Fonte: www.cultura.gov.br

Novos Eventos - Rede Em Palco

↑ Grab this Headline Animator

Leia Mais…

O Fórum Mundial da música


A partir da próxima segunda-feira, diferentes municípios gaúchos começam a respirar os ares de um mundo melhor. A décima edição do Fórum Social Mundial terá atividades em Porto Alegre, Canoas, Gravataí, São Leopoldo, Sapiranga, Sapucaia do Sul, Novo Hamburgo e ainda em Santa Maria. A descentralização propicia uma infinidade de opções culturais.

A programação de Canoas concentra o maior número de atividades do FSM. Entre elas, shows com nomes do primeiro time da música brasileira, ao longo da semana. Artistas como Mutantes, Nação Zumbi, Tom Zé, Racionais MC’s e Chico César fazem parte das atrações do FSM, que contemplará também bandas independentes. O melhor: todos os espetáculos são gratuitos. Serão realizados no Parque Eduardo Gomes. A programação em Canoas inclui, ainda, mostra de videoclipes e curtas-metragens, encontros e oficinas de áudio e vídeo.

Os Mutantes são uma instituição da música brasileira, provavelmente a mais importante banda da história do rock brazuca. Têm fâs célebres fora do País, como os músicos Sean Lennon e Beck. O falecido Kurt Cobain, do Nirvana, também admirava o grupo, formado na década de 1960 por Rita Lee, Arnaldo Baptista e Sérgio Dias. Hoje, a banda tem apenas o guitarrista Sérgio Dias como membro original.

Os outros integrantes são Bia Mendes (vocal), Dinho Leme (bateria), Henrique Peter (teclado, flauta doce e vocal), Vitor Trida (teclado, flautas, viola, cello e vocal) e Vinicius Junqueira (baixo). O set list do show de terça-feira deve incluir canções do último álbum, Haith ou Amortecedor, lançado no segundo semestre do ano passado. Mas clássicos como Ando Meio Desligado, Balada do Louco, Jardim Elétrico, Panis et Circensis e outros não deverão ficar de fora. Quem já assistiu à nova formação garante que ela não deixa a desejar. Mesmo sem Arnaldo Baptista.

A apresentação dos Mutantes deve começar às 23 horas. Antes os pernambucanos da Nação Zumbi fazem a festa, com o cantor Jorge dü Peixe no posto que já foi do mítico Chico Science. Já o sempre irreverente Tom Zé, cantor, compositor e arranjador baiano, sobe ao Palco Eduardo Gomes na quinta-feira. Uma das figuras mais ativas da Tropicália, a partir da década de 1990 ele conquistou fama internacional graças a uma parceria com David Byrne, ex-vocalista do Talking Heads. O paraibano Chico César vai divulgar seu mais recente disco, Francisco Forró y Frevo, onde mergulha no espírito das festas nordestinas.

PROGRAMAÇÃO EM CANOAS

•Terça, dia 26

Noite FSM – Show com os Mutantes, de Sérgio Dias, Nação Zumbi e Victor Culanys.

Horário: 20h30 às 00h

Local: Parque Eduardo Gomes – Palco Principal

•Quarta, dia 27

Noite da Cultura Negra. Show com Chico

César – Família Sarará & Don L – Festa do Samba

Horário: 20h30 às 00h

Local: Parque Eduardo Gomes – Palco Principal

•Quinta, dia 28

Noite da Integração. Show com Pedro Ortaça, Tom Zé e Daniel Drexler

Horário: 20h30 às 00h

Local: Parque Eduardo Gomes – Palco Principal

•Sexta, dia 29

Noite das Periferias do Mundo. Show com as bandas Racionais MC’s, Blackalicious, All Natural, Obssession e Raashan Ahmad

Horário: 20h30 às 00h

Local: Parque Eduardo Gomes – Palco Principal

•Dias 26, 27, 28 e 29

Rock Social Mundial no Palco – Shows de bandas independentes

Horário: 18 horas

Local: Parque Eduardo Gomes – Palco B

Fonte: www.gazetadosul.com.br

Novos Eventos - Rede Em Palco

↑ Grab this Headline Animator

O Fórum Mundial da música

Leia Mais…

VIII Festival Internacional de Teatro de Campinas

O VIII Festival Internacional de Teatro de Campinas – Feverestival - acontecerá entre os dias 31 de janeiro e 12 de fevereiro de 2010, incluindo em sua grade de programação espetáculos teatrais voltados ao público adulto e infantil, além de espetáculos de rua, clownferência (noite de gala cômica diferente a cada apresentação) e o projeto de residência artística “Sonho de Ícaro”, numa programação especial de Tributo ao aniversário de 25 anos do Lume Teatro. O Festival deverá acontecer no Espaço Cultural Semente, Sesc Campinas, Espaço ZAP Artes Integradas, além da ocupação das ruas e das praças de Campinas e região.

Veja programação

Baixe programação

Mais Infos: www.feverestival.com.br


Novos Eventos - Rede Em Palco

↑ Grab this Headline Animator

Leia Mais…

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Aline – Episódio 7

Pessoal no mês de janeiro estarei postando a série Aline.

Baseada na personagem de história em quadrinhos de uma tira criada por Adão Iturrusgarai. Espero que agrade a todos!

Aline Partida

Sinopse:

O último episódio desta temporada de ‘Aline’, que vai ao ar na quinta-feira, dia 12, será em total clima de despedida. Muito aflita com um sonho constante onde tem que escolher entre Pedro e Otto Aline obriga seus namorados a participarem de sua terapia com Yuri. E logo após saberem da angústia de sua amada, Pedro e Otto começam a se questionar sobre qual dos dois Aline escolheria, caso fosse necessário, começando assim uma crise que pode resultar no término deste romance.

Já em São Paulo, Zé se divide entre o amor de Kelly e Dolores que se mostram completamente encantadas pelo quarentão. E agora, depois de anos sem entender o relacionamento da filha Aline, Zé se vê na mesma situação: tendo que gerenciar dois amores.

Elenco:

Maria Flor
Pedro Neschling
Bernardo Marinho
Bianca Comparato
Daniel Dantas
Malu Galli

Direção - Mauro Farias, Maurício Farias

Parte 1
Clique aqui e assista ao vídeo direto da web



Parte 2
Clique aqui e assista ao vídeo direto da web



Parte 3
Clique aqui e assista ao vídeo direto da web



Parte 4
Clique aqui e assista ao vídeo direto da web



Fontes: aline.globo.com

Episódios Anteriores:

Aline - Prévia - Clique aqui para ir a postagem

Aline - 01 - Clique aqui para ir a postagem

Aline - 02 - Clique aqui para ir a postagem

Aline - 03 - Clique aqui para ir a postagem

Aline - 04 - Clique aqui para ir a postagem

Aline - 05 - Clique aqui para ir a postagem

Aline - 06 - Clique aqui para ir a postagem

Novos Eventos - Rede Em Palco

↑ Grab this Headline Animator

.

Leia Mais…

domingo, 24 de janeiro de 2010

Livro, A Cartomante

Campanha, Comece seu regime no domingo, "devore" um livro =D


A Cartomante

Trecho do Livro:

"— Vejamos primeiro o que é que o traz aqui. O senhor tem um grande susto...

Camilo, maravilhado, fez um gesto afirmativo.

— E quer saber, continuou ela, se lhe acontecerá alguma coisa ou não...

— A mim e a ela, explicou vivamente ele.

A cartomante não sorriu; disse-lhe só que esperasse. Rápido pegou outra vez as cartas e baralhou-as, com os longos dedos finos, de unhas descuradas; baralhou-as bem, transpôs os maços, uma, duas, três vezes; depois começou a estendê-las. Camilo tinha os olhos nela, curioso e ansioso.

— As cartas dizem-me..."

Serviços:

Livro: A Cartomante
Autor: Machado de Assis
Idioma: Português
Clique Aqui e baixe o livro gratuitamente. (O livro encontra-se em formato PDF.)

Fonte: www.dominiopublico.gov.br

Postagens anteriores do mês

Dom Casmurro - Machado de Assis
O Eu profundo e os outros Eus - Fernando Pessoa
Poesias Inéditas - Fernando Pessoa

Novos Eventos - Rede Em Palco

↑ Grab this Headline Animator

Leia Mais…

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Aline – Episódio 6

Pessoal no mês de janeiro estarei postando a série Aline.

Baseada na personagem de história em quadrinhos de uma tira criada por Adão Iturrusgarai. Espero que agrade a todos!

Aline no Rio de Janeiro

Sinopse:

Com a notícia de que Pedro foi convidado para tocar em um bar da Lapa, bairro de baladas no Rio, Aline mal se aguenta de tanta ansiedade para desfrutar de todos os prazeres da Cidade Maravilhosa. Enquanto isso, Otto está aterrorizado com a possibilidade de ser assaltado, sequestrado, assassinado ou qualquer outra coisa que comece com uma abordagem e termine com ele se dando mal. E assim que chegam ao Rio, o trio já consegue se meter na primeira de suas muitas confusões na cidade: não sabem onde é o bar onde Pedro tocará e precisam descobrir isso em meio à movimentada noite carioca. Este é só o começo desta aventura, pois com uma “gangue de poetas vândalos” a solta pelo Rio, as coisas só tendem a piorar para este trio de "perseguidores de encrenca".

Já em São Paulo, as coisas esquentam - e não no bom sentido - entre Zé e Dolores. Ao fazer uma visita à Aline, Dolores descobre o romance do ex-marido com Kelly, vizinha e colega de Aline, começando assim uma guerra sem esperanças de final feliz.

Elenco:

Maria Flor
Pedro Neschling
Bernardo Marinho
Bianca Comparato
Daniel Dantas
Malu Galli

Direção - Mauro Farias, Maurício Farias

Parte 1
Clique aqui e assista ao vídeo direto da web



Parte 2
Clique aqui e assista ao vídeo direto da web



Parte 3
Clique aqui e assista ao vídeo direto da web



Parte 4
Clique aqui e assista ao vídeo direto da web



Fontes: aline.globo.com

Episódios Anteriores:

Aline - Prévia - Clique aqui para ir a postagem

Aline - 01 - Clique aqui para ir a postagem

Aline - 02 - Clique aqui para ir a postagem

Aline - 03 - Clique aqui para ir a postagem

Aline - 04 - Clique aqui para ir a postagem

Aline - 05 - Clique aqui para ir a postagem

Novos Eventos - Rede Em Palco

↑ Grab this Headline Animator

.

Leia Mais…

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Desenhos animados que viraram filmes

Assim como muitos super-heróis saídos das histórias em quadrinhos ganharam as telonas, o mesmo aconteceu com diversos personagens de desenhos animados.


Nesta sexta-feira (22), chega aos cinemas uma versão de "Astro Boy", com as vozes de Nicolas Cage e Charlize Theron nos créditos.

Aproveitando a estreia, fizemos uma lista de personagens dos desenhos animados que ganharam as telas de cinema:

Apesar de ter sido criado por Osamu Tezuka como um personagem de mangá, o garoto-robô de Astro Boy ficou conhecido do público com a série animada de TV, que foi exibida de 1963 a 1966. O personagem também voltou à telinha na década de 80 e em 2003.

Speed Racer, criado por Tatsuo Yoshida, foi levado para a TV em uma série bem-sucedida de 52 episódios de meia hora, que contava a história da família de Go Mifune. Em 2008, o personagem foi levado aos cinemas em um filme em live action dos irmãos Andy e Larry Wachowski, os mesmos de "Matrix". Emile Hirsch fez Speed, o piloto que tenta honrar a memória do irmão Rex, morto na pista de corrida. Sua namorada, Trix, foi interpretada por Christina Ricci.

Pokémon, um desenho japonês criado por Satoshi Tajiri e seu amigo Ken Sugimori teve o primeiro filme inspirado nos monstrinhos de bolso (na tradução literal) em 2000. Nos anos seguintes, foram produzidos mais três longas sobre o treinador Ash e sua turma.

O gato preguiçoso e devorador de lasanhas, criado por Jim Davis, virou filme em 2004, com Garfield - o Filme. O longa mistura atores em live action com o bichano rechonchudo, criado com a ajuda da computação gráfica. Bill Murray dublou a voz de Garfield neste longa e na sua continuação de 2006.

A família mais famosa da Idade da Pedra teve alguns filmes bem-sucedidos nas telonas. O primeiro foi Os Flinstones - o Filme (1994), exibido no horário nobre da televisão e nos cinemas, que arrecadou US$ 342 milhões no mundo. Depois do sucesso, veio Os Flintstones em Viva Rock Vegas, produzido em 2000.

Outra família famosa, Os Simpsons, uma das mais engraçadas e mais polêmicas da TV norte-americana, ganhou um filme em 2007, que gerou muita discussão sobre o tema meio ambiente. Homer causa a poluição do lago de Springfield e isso causa grandes danos à cidade. Uma das sugestões de como solucionar o problema foi colocar uma espécie de bolha em volta de Springfield, isolando-a do mundo.

Os esquilos fofos e cantores de Alvin e os Esquilos são baseados em uma série animada da década de 80. O longa, que mistura atores reais a bichinhos animados por computador, mostra o grupo musical formado pelo líder brincalhão Alvin, pelo tímido Simon e pelo bochechudo Theodore, todos adotados pelo músico Dave Seville (Jason Lee). A sequência do longa, que está em cartaz nos cinemas brasileiros, traz as Esquiletes como rivais do trio.

A personagem A Pantera Cor de Rosa apareceu originalmente em 1963, na abertura do filme "The Pink Panther", e teve mais de 120 episódios na TV, além de cinco filmes. O primeiro, de 1964, traz Peter Sellers como o famoso e atrapalhado detetive francês Jacques Clouseau, seguindo a trilha de um ladrão de jóias conhecido como Phantom. Em 2006, Steve Martin protagonizou uma nova versão como o detetive Clouseau, que ganhou uma sequência em 2009.

Duas linhas de brinquedos que ganharam as telinhas em séries animadas foram Transformers e G.I. Joe. Diante do sucesso na TV, os dois foram parar nas telas do cinema. Transformers teve sua primeira experiência em longa de animação em 1986, sem muita repercussão. Até que, em 2007, os robôs ganharam vida e, sob a direção de Michael Bay, arrecadaram mais de US$ 700 milhões nos cinemas do mundo. O segundo filme, Transformers - a Vingança dos Derrotados (2009), conseguiu ultrapassar a marca dos US$ 800 milhões arrecadados e um terceiro filme está sendo produzido, com estreia prevista para 2011. Já G. I. Joe - a Origem de Cobra, inspirado na linha de brinquedos Comandos em Ação, não teve tanto sucesso. O longa de Stephen Sommers, que custou cerca de US$ 175 milhões, rendeu pouco mais de US$ 300 milhões no mundo.

Scooby-Doo, o cachorro mais medroso da TV, e seu fiel amigo Salsicha foram criados em 1969 pela dupla Hanna-Barbera. Junto de seus amigos Daphne, Fred e Velma, a dupla resolve casos misteriosos a bordo do furgão Máquina Mistério. Desde 1969, o desenho vem sendo exibido por todo o mundo. Em 2002, ganhou sua primeira versão em live action para os cinemas, estrelado por Matthew Lillard, Sarah Michelle Gellar, Linda Cardellini e Freddie Prinze Jr. Já o cachorro foi animado digitalmente para não perder seu charme. Após este longa, veio mais um: Scooby-Doo 2: Monstros à Solta (2004). Os dois filmes juntos renderam cerca de US$ 357 milhões.


Fonte: br.noticias.yahoo.com

Leia Mais…

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Filme, Doutores da Alegria

O filme "Doutores da Alegria" é mais um filme de uma ótima safra que vêm recuperando (ou pelo menos tentando recuperar) o prestígio do gênero documentário no nosso país.

Um filme muito bem dirigido, extremamente delicado, que nos faz sorrir e se emocionar na medida certa. Uma obra rara.

» Sinopse:

Doutores da Alegria é um filme sensível e bem humorado, que resgata a importância da figura do palhaço, um ser irreverente, sábio e generoso, capaz de provocar verdadeiras transformações com sua capacidade de olhar a vida por novos ângulos. Sempre apontando o ridículo da situação nele mesmo, o palhaço torna-se a figura ideal para remexer baús empoeirados, chacoalhar estruturas, arejar nossas mentes.

» Elenco

- Angelo Brandini
- César Gouvêa
- Wellington Nogueira
- Beatriz Sayad
- Cláudia Zuccherato

» Doutores da Alegria, 2005
» Direção: Mara Mourão
» Roteiro: Mara Mourão
» Gênero: Documentário
» Origem: Brasil
» Duração: 96 minutos
» Tipo: Longa-metragem
» Site: www.doutoresdaalegriaofilme.com.br
» Filme: Clique aqui e assista o filme direto da web.



Novos Eventos - Rede Em Palco

? Grab this Headline Animator

Leia Mais…

BlogRoll